Buscar
  • Madalena Bento de Mello

REDEMOINHOS DE LUZ


"Redemoinhos de Luz" acrílico sobre tela, 1,50 m x 0,50 m Diante do silêncio da tela minha mente igualmente silencia-se apenas diz apenas é As tintas caminham dançam e rodopiam se encontram, se reencontram se tornam um, se amam mágica e inesperadamente Indescritível certeza comunhão com o infinito diante do nada Salto de um penhasco Mergulho em oceanos profundos Ondas gigantes embalam a mansidão do meu peito Milenares grutas acolhem ninhos despertos Espátula prolongamento de minhas veias Tintas, de meu sangue A pintura, da minha existência cósmica A tela, do universo O instante, quando já é o silêncio que tudo diz Danças que seduzem que envolvem vigorosamente suavemente Passos que afirmam o caminho Asas que se aventuram extasiadas e desmesuradamente em desconhecidos e infinitos céus Sorriso Gargalhada Oração Canção Sou as nuances as intensidades o descanso o remanso as impetuosidades não me canso Explosões de luz que parem o Cosmos e de estrela em estrela somos um Estou por toda parte toda parte é em mim navegando assim indomáveis mares a reverenciar um barquinho de papel Infinito que se faz presente segundo que se faz eternidade Deslizo nas tintas e como um escorrego de criança mergulho no êxtase e já não mais desperto para quê ? o sonho é real Meus dedos se prolongam toco o infinito um violino toca não mais existo nem o infinito apenas aquela nota a ressoar ressoar ressoar Madalena Bento de Mello 2014

#tela #tintas #espátula #existência #universo #silêncio #luz #cosmos #infinito

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo